Crise! Seis diretores do Barcelona pedem demissão e batem firme no presidente Bartomeu
06/04/2016 14:22 em Esportes

Uma sexta-feira quente no Camp Nou. Seis diretores do Barcelona renunciaram aos seus cargos criticando a forma como o clube lidou com a questão da redução salarial nas mídias sociais e as implicações financeiras da crise do coronavírus.

Dois dos quatro vice-presidentes do Barcelona, Emili Rousaud e Enrique Tombas, estão entre os que deixaram o clube, acompanhados pelos diretores Silvio Elias, Josep Pont, Jordi Calsamiglia e Maria Texidor.

Em uma carta aos torcedores, os diretores criticaram o presidente Josep Maria Bartomeu e expressaram dúvidas sobre a capacidade do conselho de lidar com as implicações da pandemia, que reduziu a receita e levou a um corte de 70% nos salários dos jogadores.

Eles pediram a Bartomeu que convocasse as eleições presidenciais o mais rápido possível e criticaram o clube por contratar no início deste ano os serviços da I3 Ventures, empresa de mídia para monitorar a cobertura das redes sociais do Barcelona. Presidente desde 2014, Bartomeu é reeleito e não pode se candidatar nas eleições do ano que vem.

Bartomeu negou as acusações de que a empresa criou contas no Twitter (os famosos "robôs" usados por muitos políticos pelo planeta, especialmente em tempos de eleição) para manchar futuros candidatos presidenciais e jogadores e ex-atletas do clube (Guardiola, por exemplo, teria sido um dos alvos). Mas, de todo modo, o dirigente rescindiu o contrato do clube com a empresa, que também negou qualquer irregularidade.

 
Josep Maria Bartomeu, presidente do Barcelona, enfrente crise forte no clube — Foto: Germán Parga/BarcelonaJosep Maria Bartomeu, presidente do Barcelona, enfrente crise forte no clube — Foto: Germán Parga/Barcelona

Josep Maria Bartomeu, presidente do Barcelona, enfrente crise forte no clube — Foto: Germán Parga/Barcelona

"Queremos mostrar nosso descontentamento com o episódio infeliz sobre as contas de mídia social, conhecidas como 'Barçagate', sobre as quais soubemos através da imprensa", diz a carta dos dirigentes, mostrando que eles não estavam cientes da contratação da I3.

 

Barcelona ameaça processar ex-dirigentes

 

Na manhã desta sexta, o Barcelona emitiu uma nota oficial negando todas as acusações e prometendo processar os dirigentes. Veja abaixo na íntegra.

"Diante das acusações sérias e infundadas feitas nesta manhã pelo Sr. Emili Rousaud, ex-vice-presidente institucional do Clube, em várias entrevistas com a mídia, o FC Barcelona nega categoricamente qualquer ação que possa ser classificada como corrupção e, portanto, reserva-se o direito de ação penal que possa corresponder.

Nesse sentido, a análise dos serviços de monitoramento de redes sociais está sendo submetida a uma extensa auditoria independente da PriceWaterhouseCoopers (PWC), que ainda está em andamento e, portanto, sem conclusões, facilitando a Bata todas as informações e meios que a PWC solicita desde o início do processo.

Finalmente, as renúncias dos membros do Conselho de Administração anunciadas nas últimas horas ocorreram como resultado da reforma do Conselho promovida pelo Presidente Josep Maria Bartomeu nesta semana, e que será concluída nos próximos dias. Esta reforma do Conselho de Administração visa enfrentar com o máximo de garantias a última seção do mandato, com o objetivo de implementar as medidas necessárias para preparar o futuro do Clube, superar as conseqüências da crise de saúde que estamos enfrentando e concluir as ações da programa de gestão iniciado em 2010 e o Plano Estratégico aprovado em 2015."

COMENTÁRIOS